Comportamento – Eneagrama das Personalidades – As leis

Por Lúcia Renata

 

No nosso último artigo sobre o Eneagrama descrevemos as tríades que constituem as noves personalidades, hoje vamos falar sobre as leis que regem essa energia.

O Eneagrama é um símbolo sagrado, trazido por Gurdjieff de uma fraternidade oculta da Ásia Central (Samsung), que encerra as leis cósmicas fundamentais de Três e de Sete, ou seja, as leis da Criação e da Manutenção do Mundo. Estudando a dinâmica do eneagrama, passamos a compreender como se processa tudo no universo e em nossas vidas. Passamos a prever os vários tipos de estágios pelos quais tudo flui e aprendemos a prever os intervalos onde os processos perdem a força e onde devemos aplicar choques adequados para que o processo possa prosseguir.

O desconhecimento dos intervalos naturais e sua natureza leva a maioria de nós a desistir prematuramente de nossos objetivos, ou a encarar como adversidades os desafios naturais que essas leis nos apresentam. Ele é um instrumento que nos permite ver quando e de que modo os eventos se ajustam às leis cósmicas e reconhecer, assim, o que é possível e o que não é possível nos empreendimentos humanos.

O Eneagrama é um instrumento que nos ajuda a adquirir uma percepção e uma ação mental triádicas. Enquanto nossos processos mentais comuns são lineares e sequenciais, o mundo em que vivemos é tríplice. Segundo Gurdjieff, a triplicidade é uma das “Leis Cósmicas Sagradas Fundamentais” e deve ser estudada por todo aquele que quer compreender a si mesmo e compreender o mundo no qual vive com vistas a uma melhor convivência nos ambientes pessoais e profissionais.

O símbolo do Eneagrama representa três leis matemáticas da Antiguidade. A matemática antiga era uma filosofia, uma tentativa de explicar o Universo.

Para os estudiosos do Eneagrama é sabido que tal construção vem de 3 leis, a lei do Um, a lei do Três e a lei do Sete.

O Eneagrama propõe-se como um símbolo de tudo e de todas as coisas. Desde Alexandria e durante vários séculos, ele era usado para explicar muitos sistemas e fenômenos do Universo. Por exemplo, o movimento dos astros no firmamento, o movimento de Júpiter e Saturno e as fases da Lua. Pe. Domingos Cunha, Csh. 2016.

 

A lei do Um, nos diz que tudo que existe contem um centro e que todos esses centros estão interligados, Um só é o centro de onde nós proviemos. Representado pelo Círculo, acredita-se que foi levada para Alexandria pelos sábios da antiga civilização Suméria, essa lei nos ensina que tudo é um, uno, a realidade inteira é uma só coisa.

Hoje chamamos isso de Visão Holistica: holos significa todo. Tudo é uma realidade UNA, tudo está interligado. A Lei do Um é o reflexo da crença num Deus único, criador de todas as coisas que, como reflexo do Criador, é uma realidade una, inteira. Quando mais tarde o símbolo do Eneagrama é aplicado ao ser humano, a Lei do Um lembra que somos todos um e que cada um de nós é uma realidade una, inteira.

A Lei do Três, nos ensina que quando uma força superior deseja descer a Terra é necessário que haja duas forças no plano inferior para recebê-la, portanto, é inevitável no nosso plano e nós precisamos desse conforto, esse choque, para podermos evoluir.

Essa é a lei da criação do Universo, Pai, Filho e Espirito Santo. É também a segunda Lei matemática que está expressa no triângulo da figura do Eneagrama é a Lei do Três. Tudo é Um, mas o um se manifesta de três formas diferentes.

A Lei do Um e a Lei do Três se juntam para explicar o fundamento de todas as coisas. O Um é Três e o Três é Um. Vemos isso nas tradições religiosas, onde sempre a divindade, Una, se manifesta de três formas diferentes. Na tradição cristã, falamos de um só Deus e três pessoas. O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus, mas é um só Deus, manifestando-se em três pessoas. Assim vemos a realidade: tudo é uma coisa só, mas cada coisa, sendo inteira e una, se manifesta de três formas diferentes. Na física atômica: prótons, elétrons e nêutrons; na eletricidade: positivo, negativo e neutro, na filosofia: tese, antítese e síntese; na psicologia: ego, id e superego. Quando mais tarde o símbolo do Eneagrama passa a ser usado para explicar o ser humano, a Lei do Três vai dizer que o ser humano, sendo uma realidade una e inteira, manifesta-se de três formas diferentes: pela ação, pela razão e pela emoção. É o mesmo ser humano, manifestando-se de três formas diferentes... Mas, para ser inteiro, o ser humano precisa integrar as três dimensões harmoniosamente. Na Matemática moderna, a Lei do Três é a Dízima Periódica ou Perfeita de Três. Dividindo a unidade por três, temos uma sequência infinita de três.

A lei do Sete, nos ensina que o trabalho de desenvolvimento espiritual que nós viemos executar aqui na terra ele não se dá espontaneamente, como acontece com o desenvolvimento físico, pois esse já está programado geneticamente.

Então o nosso despertar enquanto seres humanos é necessário que haja em trabalho um reforço continuo e consciente para que possamos nos desenvolver. Essa lei é da Criação e da manutenção do mundo, como os Sete dias da semana. É também a terceira Lei matemática presente no símbolo do Eneagrama é a Lei do Sete, representada pela héxade. A Matemática moderna chama isso de Dízima Composta de Sete: se dividirmos a unidade por 5, 7.... Que se repete em sete, temos uma sequência de 0. 1, 4, 2, 8, juntos sempre iguais: 1, 4, 2, 8, 5, 7...

A Lei do Sete também é chamada Lei das Oitavas. Ela está na base da escala musical... E aí entendemos o conceito das oitavas. Dó, Ré, Mi, Fá, Sol, Lá, Si... DÓ. O segundo Dó é diferente do primeiro: está uma oitava acima. Quer dizer, a Lei das Oitavas ou Lei do Sete nos fala de processo, de ciclos de transformação, de saltos ao final de cada ciclo. A Lei do Sete é a base do calendário Lunar. Cada ciclo lunar significa um ciclo de vida, de transformações. Mas, a Lei do Sete continua presente nas ciências modernas. Na Medicina, por exemplo: quando tomamos antibiótico, tomamos durante sete dias. É um ciclo de cura. A nossa vida pode ser dividida em septênios, porque a cada sete anos acontecem mudanças significativas na nossa vida. De sete em sete anos quase todas as células do nosso corpo são mudadas. A Lei do Sete é a Lei que explica as mudanças, os processos de evolução e transformação do universo. Quando mais tarde o Eneagrama passa a ser usado para explicar a alma humana, os monges cristãos vão perceber que a Lei do Sete ajuda a explicar a evolução dos estados emocionais.

Eneagrama.... Um símbolo, muito antigo, baseado em leis Matemáticas. Um símbolo de tudo e de todas as coisas. Surgiu em Alexandria e era usado como mapa para explicar o Universo. Era chamado Eneagrama Cosmológico. Uma tentativa de explicar o fundamento do universo, como ele se apresenta e como acontecem as suas transformações e evolução.

 

Caminhar... e o caminho se faz ao andar! Tenho medo de quem ainda não partiu e tenho medo de quem já chegou; eu acredito em quem caminha. Quem ainda não partiu, provavelmente ainda não acordou, ainda não sentiu a dor e angústia de ser quem é, ainda não percebeu o preço que está pagando pela estagnação. Quem já chegou…. Possivelmente está enganado. Quem está caminhando, a cada passo vai descobrindo novos horizontes! Convido você para caminhar…

 

E peço que nunca esqueça:

USE O ENEAGRAMA COMO CAMINHO DE COMPAIXÃO!

 

Artigo baseado no Livro Eneagrama da Transformação de Domingos Cunha, CSh.

 

Vem ser feliz AGORA! 

#serhumanointegral
#coachdecura
#luciarenatacoach
#eneagramadaspersonalidades
#autoconhecimento